Lua VAZIA

Lua VAZIA

Oscar Quiroga

22 de novembro de 2013 | 05h12

 

22-11-13 – sexta-feira – Das 5h12 até 21h58, horário de verão de Brasília, a Lua que míngua em Câncer está VAZIA.

Te sentes grande, uma alma muito importante, insubstituível, para logo em seguida te sentires ninguém, um grão de areia numa praia imensa, um ponto irrelevante do Universo.

Realmente, o Universo é infinitamente grande e infinitesimalmente pequeno, não poderias sentir nada além do que essa alternância de visões a respeito de tua própria alma, essa visão é verdadeira.

O problema não é sentir ou enxergar a alternância e acompanhá-la com estados de ânimo, teu problema é preferir uma e rejeitar a outra, esse sim é um problemão.

O problemão consiste em tentares erradicar uma parte do Universo em benefício da outra, e não pensa que todas as pessoas prefiram ser grandes. Nada disso! Há aqueles que se agarram desesperadamente às suas condições inferiores, sentindo-se a raspa do tacho e se deleitando em serem assim. Essas pessoas têm o mesmo problema que Tu, preferem uma condição e rejeitam a outra.

Todos carecem de liberdade, pois essa virtude divina se associa à equanimidade, que é a permanência de um mesmo estado de ânimo diante das oscilações da manifestação.

Descansa, te despreocupa, observa os fluxos e refluxos de tudo como se observasses imagens se alternando, apoia tua consciência na dinâmica, te exercita na arte de te despreocupares, te convence que do seio de uma condição surge seu oposto, e que do interior de seu oposto já se avista o que antes era.

Apoia tua mente na certeza desse fluxo, te converte na própria Vida, que contempla e acolhe tudo e todos.

Nada prefiras, nada rejeites, mas se esse estado mental for muito difícil para ti, então consagra todas tuas preferências e rejeições a te aproximares conscientemente da equanimidade.

Durante este período não tens obrigação maior do que essa.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: