Lua VAZIA

Lua VAZIA

Oscar Quiroga

30 de julho de 2013 | 12h59

 

Das 12h59 de terça-feira 30-7-13 até 12h43 de quarta-feira 31-7-13, horário de Brasília, a Lua quarto minguante de Touro está VAZIA.

E agora?

O que fazer com um período assim, de tempo livre, no meio das tarefas agendadas, dos compromissos assumidos, da própria mente que não detém sequer por um instante a sua frenética vontade de fazer as coisas acontecerem, mesmo não havendo necessidade disso, a despeito de a realidade não se medir apenas pelos fatos, mas também por todas as sensações e experiências subjetivas que, no somatório, compõem o ardor interior que orienta o ser humano a ser quem ele é, o que fazer?

O que fazer?

Agora você comprovará quem é que manda, se é você que pensa seus pensamentos, ou se os pensamentos se aproveitam de sua presença, a avassalam, comandando um destino retorcido, no qual você é mero figurante.

Agora você comprovará se você é capacitado (você é), mas não apenas isso, se você é capaz de utilizar consciente e intencionalmente suas capacidades para prestar atenção ao que realmente interessa, a vida interior.

Sim, a vida interior, aquela dimensão que tememos chamar de realidade, pois são tantos os paradoxos que por lá acontecem que não saberíamos definir onde começa uma coisa e onde termina a outra.

Pois é nessa confusão que você é quem você é, e lhe cabe utilizar todos os períodos de Lua VAZIA, que foram, são e serão muitos, sempre de durações variáveis, sempre a cada dois dias e meio, cabe a você utilizar todos para reencontrar seu ser interior, o ser que você verdadeiramente é.

Para isso é necessário se despreocupar das contas a pagar, dos compromissos assumidos, das obrigações concretas que você precisa administrar.

Despreocupar-se é a melhor pedida, você tem para isso uma licença especial outorgada pelo Cosmo em que você se movimenta e é.

Nada nem ninguém está acima dessa licença.

A partir de agora, você a utiliza se você quiser.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.