Lua VAZIA

Lua VAZIA

Oscar Quiroga

03 de abril de 2013 | 07h36

Das 7h36 de quarta-feira 3-4-13 até 5h43 de quinta-feira 4-4-13, horário de Brasília, a Lua quarto minguante de Capricórnio está VAZIA.

Se você tiver algum ou vários assuntos engatilhados e em andamento, o dia de hoje, apesar de não ser nada propício à objetividade, pode fornecer mínimo suporte para suas questões.

Porém, se o seu caso for o de pretender dar início a algo que considere importante e do qual você espere frutos concretos, a sugestão é adiar, aguardando por momento mais oportuno.

E se por um desses misteriosos acasos seu ânimo hoje não estiver grande coisa, muito pelo contrário até, considere isso um bom sinal de SINCRONIA de seus equipamentos emocional, mental e físico com o Universo em que existe, pois em dias de longas Luas VAZIAS, como hoje, o melhor a fazer seria descansar, retirar-se do barulho da normalidade para se dedicar ao dolce far niente, ou ócio criativo, como o famoso italiano o rebatizou.

Afinal, um dia inteiro de descanso bem no meio da semana supostamente destinada a ser útil, do ponto de vista produtivo, eis uma oportunidade que não acontece frequentemente. Por isso, aproveitá-la seria propício.

Agora só falta combinar com seu chefe que você não vai trabalhar, ou que mesmo estando de corpo presente, que você vai divagar nos confins da galáxia. Se ele ou ela concordar alegremente com essa proposta, tenha certeza, você foi abduzido por nave alienígena e se encontra em outro planeta, pois na Terra ainda não acontece esse tipo de coisa.

Porém, como nossa humanidade é criativa, ela pode inventar seu próprio tempo, apesar de não haver suporte institucional para isso.

Um cineminha rápido, uma escapadela, uma qualquer coisa que você escolher fazer como representação de sua liberdade de escolher; esse tipo de atitude será protegida pela Lua VAZIA, ao passo que insistir na produtividade e concretude será a melhor forma de perceber o quanto se sofre ao contrariar os movimentos cósmicos nos quais nos movimentamos e somos.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: