Lua CHEIA

Lua CHEIA

Oscar Quiroga

23 de junho de 2013 | 05h09

 

Às 5h09 de domingo 23-6-13 a Lua ingressou em Capricórnio para completar a fase CHEIA em conjunção com Plutão e quadratura com Urano até 0h27 de segunda-feira 24-6-13, horário de Brasília.

O elo perdido de Darwin nunca será descoberto e a teoria evolutiva das espécies continuará sendo uma linda e elaborada hipótese, apesar das pomposas atitudes acadêmicas.

As conexões visíveis e invisíveis, concretas e subjetivas, físicas e metafísicas envolvidas na evolução das espécies constituem no infinito Universo uma linguagem que só o Divino decifra, porque é sua escrita.

Nós, que somos apenas letrinhas dessa escrita, como poderíamos decifrar a frase da qual fazemos parte?

Enxergamos a nós mesmos, suspeitamos haver Algo Maior, nos sentimos momentaneamente tomados por sensações grandiosas ao buscarmos respostas para essa suspeita e vamos pela vida afora investigando para decifrar um pouco dessa escrita divina.

Investigar, é isso que interessa, investigar sem tornar nossas investigações particulares o centro do Universo, porque esse não está em lugar algum e em todas partes ao mesmo tempo, eis o mistério do Infinito.

Nesta Lua CHEIA, que é a consagrada ao Cristo, o aspecto Divino imanente, que está encerrado em todas as manifestações como esperança de libertação e, junto com essa, acrescentar a consciência de quem a libertou, é propício enxergarmos com clareza nossas limitações e nossas ampliações, nossos enganos e também os frutos de nossas investigações.

Inferno e Paraíso são os frutos de nossa caminhada, é propício abençoar tudo e seguir em frente.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.