Longo e sinuoso dia de Lua VAZIA

Oscar Quiroga

21 de março de 2012 | 05h40

Das 5h40 de quarta-feira 21-3-12 até 6h58 de quinta-feira 22-3-12, horário de Brasília, a Lua quase Nova de Peixes está VAZIA. No mesmo período, Sol e Mercúrio em conjunção.

Um longo e sinuoso dia de Lua VAZIA para você, no mínimo, observar e compreender melhor a íntima conexão que existe entre sua presença e a complexa fisiologia cósmica.

Da mesma forma com que respiramos alternando inspiração e expiração, a alma também alterna períodos de objetivação e de subjetividade, de exteriorização e interiorização.

Porém, como a agenda da civilização trata nossa humanidade como uma engrenagem a mais no processo industrial, os horários de trabalho e de funcionamento oficial da civilização não respeitam os verdadeiros ciclos de exteriorização e subjetividade, pelo contrário, os atropelam.

Assim vão as coisas! Pois se você deve forçadamente cumprir um horário de trabalho quando sua alma lhe pede firmemente que se distancie e descanse em paz, o resultado será, no mínimo, um estado de irritação que, somado ao atropelamento sistemático dos verdadeiros ciclos de funcionamento humano resulta num estado de coisas caótico.

Você deve confiar em sua intuição quando esta lhe informa claramente, através de um cansaço inusitado, que você não deve se envolver na ação, mas que, pelo contrário, deve apontar sua consciência para outro lado, o do relaxamento das tensões produtivas e a concentração em exercícios que privilegiem a beleza, o descanso, a despreocupação.

Só falta você combinar com seu chefe para ele ou ela, quando encontrarem você em pleno devaneio na hora do trabalho, não demitirem você. Nessa hora você deverá dar uma carteirada cósmica e afirmar que possui licença do céu para descansar. (O Senhor sabe com quem está falando? Sou um ser cósmico! Tenho licença cósmica para descansar!)

Na prática, nada disso será possível, ainda, sendo que resta então a criatividade para continuar fingindo que hoje deva ser um dia igual a todos os outros enquanto interiormente você, na melhor das hipóteses, decida pegar leve, muito leve, para não se contaminar com a irritação alheia e, pelo contrário, aumentar a dose de bom humor e dar sonoras risadas diante das trapalhadas que você ou as outras pessoas produzirem. (Mas sem isso parecer arrogante, porque assim teria o efeito contrário.)

Próximo boletim será publicado às 6h58 de 22/3/12

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: