Humanidade estacionada

Humanidade estacionada

Oscar Quiroga

17 de dezembro de 2012 | 22h49

Às 22h49 de segunda-feira 17-12-12 a Lua que cresce ingressou em Peixes e está em conjunção com Netuno, quadratura com Vênus, trígono com Saturno e sextil com Plutão até 14h34 de terça-feira 18-12-12, horário de verão de Brasília.

Faze o que desejas, esta é a primeira lei de nossa humanidade aqui na Terra. A segunda lei é, colhe o que plantas.

Enquanto que a primeira lei é simpática ao olho mental de nossa humanidade, a segunda surge temível.

Enquanto isso, o tempo passa e nada de novo se faz entre o céu e a terra mediante o usufruto das duas leis, já que essas não são letra morta de um código civil, mas rios de vida que fluem através da consciência de nossa humanidade.

Nossa humanidade anda estacionada demais em desejos banais, mas transformados em proporções tão importantes que pareceria ser impossível continuar vivendo sem satisfazê-los. Aí a segunda lei passa a trazer os infalíveis resultados dos hábitos transformados em vícios e nossa humanidade começa a se lamentar como se não soubesse a verdadeira razão de lhe acontecer o que lhe acontece.

Tudo é uma decisão, a regra do jogo para nossa humanidade se chama livre arbítrio, os desejos que você deseja não são automáticos, não são produzidos por circunstâncias psicológicas, sociais ou genéticas, são decididos intimamente. Por isso a infalibilidade da segunda lei.

Agora é propício começar a exercitar essa força de vontade e, talvez, experimentar conduzir os desejos a outros alvos diferentes dos habituais, que deixaram de ser hábitos para se transformarem em vícios.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.