Harmonia através do Conflito

Harmonia através do Conflito

Oscar Quiroga

30 de novembro de 2012 | 11h56

Às 11h56 de sexta-feira 30-11-12 a Lua que começa a minguar ingressou em Câncer, onde está em trígono com Netuno e quadratura com Urano até 21h22, horário de verão de Brasília.

De onde vem os comandos que você obedece? A pergunta talvez surpreenda você, já que seu convencimento era de que ninguém dá ordens em você.

Porém, observe melhor, seu corpo físico, por exemplo, responde aos comandos do mundo, que exige uma vida desenvolvida em torno da busca de status, dinheiro e a adequação a um lugar de engrenagem na escala produtiva. E, na contrapartida, o que você faz com os comandos provindos da subjetividade, que induzem seu corpo e mente a encontrar uma forma de criar uma realidade bela, verdadeira e vibrante? Você obedece também esses comandos com a mesma assiduidade?

Essa ambiguidade nossa de todos os dias pode não ter data de resolução absoluta, mas é necessário enfrentá-la a todo momento com a maior boa vontade possível, pois é a mais fiel tradução de nosso estado existencial.

Ora porque damos excessiva atenção ao chamado da normalidade produtiva da civilização, ora porque nos inclinamos perigosamente a levar uma vida excessivamente vinculada aos sutis movimentos da psique, acaba resultando em que raramente vivemos de equilíbrio e harmonia.

É do conflito resultante dessa ambiguidade nossa de cada dia que devemos, pela nossa arte, inventar a harmonia. Este é nosso fatal destino.

Experimente a intensidade deste período, aceite a ambiguidade, não tente resolvê-la precipitadamente, isso criaria desequilíbrio, e não é isso que sua alma busca. Pelo contrário, ela busca o lugar-tempo em que aceita a ambiguidade e a aproveita para se equilibrar com elegância e mestria nela, desfrutando dessa harmonia que não é estável, mas que por obra de sucessivos ajustes acaba se transformando no estado de ânimo preeminente.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.