Fuja da normalidade!

Oscar Quiroga

01 de agosto de 2011 | 05h43

 

Às 5h43 de segunda-feira 1-8-11 a Lua que começa a crescer ingressou em Virgem e permanece em oposição a Netuno, conjunção a Mercúrio e trígono com Plutão e Júpiter até 20h39, horário de Brasília. No mesmo período, Sol e Júpiter estão em quadratura.

 

Uma semana no mínimo perturbadora, mas só para quem não conhece alternativa para a normalidade.

Explico, o mundo como o conhecemos já deixou de existir há muito tempo, vem se sustentando pela força da inércia, mas na prática é uma espécie de morto-vivo, um zumbi que suga energia e vida em vez de distribuí-la.

A força da inércia está acabando e por isso começamos a perceber concretamente seu fim, o que chamamos de “fim de mundo”, que não tem nada a ver com o fim do planeta nem o fim de nossa espécie humana.

Quem não conhece alternativa porque todo seu tempo se encontra seqüestrado pela normalidade desse mundo que não é mais experimentará agora a perturbação violenta dos últimos estertores da civilização que não é mais. Estes últimos estertores durarão anos ainda… (erva ruim é dura de morrer!)

A alternativa que as almas conhecem deriva do esforço empreendido para se conhecerem melhor, o que lhes garantiu tempo livre para criar caminhos paralelos à normalidade. O que até aqui teria parecido uma atividade fútil e dispensável começará a se mostrar agora como a melhor coisa que poderia ter sido feita.

Neste período em particular as perturbações são decorrentes do exagero e da precipitação, porque o tempo ser curto para aplicar remédios na civilização já não é mais uma sensação nos meios que governam, mas uma trágica certeza.

Você, alma nobre e empreendedora, que ousou transitar pelo caminho da retidão apesar dos erros, continue firme sustentando a nota da alegria e da despreocupação. Só isso salva.

 

Próximo boletim será publicado às 20h39 de 1/8/11

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: