Equilíbrio

Equilíbrio

Oscar Quiroga

10 de maio de 2014 | 14h19

 

Às 14h19 de sábado 10-5-14 a Lua que cresce ingressou em Libra e está em trígono com Mercúrio, conjunção com Marte, oposição a Vênus, quadratura com Plutão, oposição a Urano e quadratura com Júpiter até 21h51 de domingo 11-5-14, horário de Brasília. No mesmo período, Sol e Saturno em oposição, Vênus e Marte em oposição, Mercúrio e Netuno em quadratura.

O justo equilíbrio para tomar tuas decisões, eis o desafio, que se manifesta em algo tão banal quanto comprar o presente para tua “melhor mãe” tanto quanto para resolveres dilemas mais irritantes que o fogo mais profundo do inferno.

Um dilema não precisas ter, teu julgamento mais correto da realidade resultará do somatório de todas as hesitações, oscilações, vaivéns e movimentos pendulares entre os vários e diversos caminhos que poderiam ser adotados. Pois é! Se pensavas que essas condições eram castigos, então reconsidera, aquilo que buscas só pode resultar daquilo que abominas.

Encontra na tua consciência a estética do convívio de todas as diferenças, pois o que abominas e o que aprecias convivem nessa e de nada adianta tentares preferir umas às outras, o equilíbrio é possível.

Equilíbrio é expressão de ausência de crises, de bem-estar, de tudo estar certo num mundo incerto. Tu sentes necessidade de ordem porque tudo está em desordem, agradece àqueles que colocam tudo de ponta-cabeça, eles e elas te outorgam a oportunidade de persistires na ordem, onde o equilíbrio se mantém apesar de tudo e de todos.

A estética do equilíbrio não exclui ninguém, é a estética da melhor convivência possível.

Tu verás isso na prática por ocasião da celebração do Dia das Mães, que colocará na mesma mesa pessoas que, apesar de familiares, não se bicam, mas que para venerar a “melhor das mães” precisam conviver e se suportar.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.