Convergência e Divergência

Convergência e Divergência

Oscar Quiroga

17 de março de 2013 | 03h10

Às 3h10 de domingo 17-3-13 a Lua que cresce ingressou em Gêmeos e está em quadratura com Netuno e Mercúrio, que volta a progradar, e também em conjunção com Júpiter até 22h48, horário de Brasília.

Uma pessoa, um acontecimento, um pensamento, tudo pode ser analisado e por isso dividido em múltiplas partes, mas nenhuma dessas e nem a reconexão de todas transmitiria o TODO que se pode dividir sem diminuir, multiplicar sem perder a conta, que contém tudo, mas nada o contém.

Melhor, então, colocar limites e essa enumeração de tarefas, razões, movimentos, perspectivas, expectativas e serpentes cósmicas que só o pensamento seria capaz de inventar.

Mantenha a percepção mais honesta possível de todas suas intenções, porque vai que a realidade, dessa vez, venha querendo coincidir com o que você imagina.

Sim! Melhor cultivar uma intenção pacífica, nada precisa ser excluído, cada coisa em seu lugar e um lugar para cada coisa, sem necessidade de ficar enumerando tudo, como se a mente fosse uma espécie de locutora simultânea que descrevesse a você, que percebe, suas percepções.

Que tudo seja visto, mas que depois tudo seja revisto também, o movimento pode ser mais econômico, sem desperdício.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: