Atitudes tolas

Atitudes tolas

Oscar Quiroga

17 de julho de 2012 | 14h12

Das 14h12 de terça-feira 17-7-12 até 18h24 de quarta-feira 18-7-12, horário de Brasília, a Lua quase Nova de Câncer está em quadratura com Saturno. No mesmo período, Marte e Plutão estão em quadratura.

Assim como é inútil tentar apressar a água do rio, tão tolo quanto isso seria criticar a Vida porque o equilíbrio da justiça que desejamos não acontece na hora que queremos.

A Vida é maior que cada um de nós e do que todos juntos e sua fisiologia homeostática conta com a eternidade para comprovar sua eficácia.

Percebemos a injustiça, nos enojamos e nauseamos com “tudo isso que está aí”, clamamos por sinais de tudo estar certo, de que os princípios que protegemos e nos protegem são vigentes, e em resposta temos o silêncio e o aparente domínio dos que sustentam “tudo isso que está aí”.

Somos tolos nessa atitude, muito tolos, tropeçamos com nossa soberba, pretendendo dar lição de eficiência ao Tempo e à Vida. A compensação, a justiça, a manifestação divina dos princípios eternos, tudo está em marcha, tolos são os que afirmam que não e mediante essa perigosa tolice se dispõem a passar para o lado dos que há muito tempo esqueceram-se dos princípios eternos.

Agir contra os princípios eternos é ultrapassar a barreira de proteção e ficar expostos ao Infinito. Em algum momento, as pontas soltas que largamos atrás de nossos passos retornarão com força inusitada a nos chicotear.

É em momentos como o atual que esses chicotes se fazem sentir. Se você os experimentar, aceite-os e aproveite para iniciar o caminho da redenção.

Se você os sentir e se enraivecer imprecando contra a Vida como se essa fosse mais uma prova de sua injustiça, amordace sua boca e sua mente antes de continuar assinando sua própria sentença de destruição. É melhor estar amordaçado do que correr o risco de insultar a fonte, a Vida de nossas vidas.

Tudo é justo, tudo é fruto da necessidade, o tempo em que tal perfeito equilíbrio acontece não é o nosso tempo, pois nossa percepção é imperfeita, não conta com a eternidade, poderia fazê-lo através de um divino ato de vontade, mas ainda se agarra ao pequeno, é uma consciência mesquinha, convencida de sua pequenez ser o todo do Universo.

A Vida é maior e, em momentos como o atual, o comprova para ninguém poder dizer que nunca experimentou nada disso.

Próximo boletim será publicado às 18h24 de 18/7/12

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.