Aproximar-se eternamente da eternidade

Aproximar-se eternamente da eternidade

Oscar Quiroga

25 de novembro de 2012 | 22h30

Das 22h30 de domingo 25-11-12 até 22h58 de segunda-feira 26-11-12, horário de verão de Brasília, a Lua que cresce em Touro está em trígono com Marte e Plutão, e oposição a Mercúrio. No mesmo período, Sol e Urano estão em trígono, Mercúrio retoma progradação.

E cadê esse esplendor que dá saudade sem nunca tê-lo experimentado?

É presente, é presente! Está sempre aí ao alcance da mão, muito mais perto do que a própria mão, miríades de estrelas, brilho mais forte que milhões de sóis sem, no entanto, ferir a vista.

Bem e Mal dançando ao uníssono, alma transcendente que não se importa com a ambiguidade, está além, está além.

Uma promessa nunca quebrada, mas cumprida apenas quando for devidamente evocada, com as palavras certas, o jeito certo e, principalmente, com a devida reverência de uma alma que já experimentou tudo e que em nada saciou sua fome de um esplendor que parecia estar sempre aí, mas que não foi nunca encontrado em nada que experimentou.

Está ao alcance da mão, está mais perto do que a própria mão.

Para quando? Para quando?

Que venha a nós o reino e que sejamos reis e rainhas de nossas próprias realidades, com majestade dispensando graças enquanto navegamos pelo infinito.

Mais alto e ainda mais elevado! Aproximar-se eternamente da eternidade.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.