Amor

Amor

Oscar Quiroga

12 de junho de 2013 | 01h59

 

À 1h59 de quarta-feira 12-6-13 a Lua que cresce ingressou em Leão e está em quadratura com Saturno, sextil com Marte e trígono com Urano até 2h04 de quinta-feira 13-6-13, horário de Brasília. No mesmo período, Vênus e Urano em quadratura.

O amor não é um prêmio, é uma oferenda, é a constatação e consequente dinamização de todas as conexões existentes entre tudo e entre todos.

Tudo é interligado, tudo está conectado, quantas vezes você ouviu ou repetiu frases semelhantes?

Associar o amor exclusivamente ao ato romântico é limitar o que não deveria ser constrangido.

Não é verdade que quando um ser humano ama ele é uma pessoa melhor do que as outras? E também não é verdade que quando um ser humano ama alguém, mesmo que pareça seu amor ser exclusivo dessa pessoa, ele trata bem todo mundo e se desenvolve com alegria, irradiando uma boa influência?

O amor transforma para melhor as pessoas, porque revela todas as conexões.

O amor é a própria conexão de todas as entidades do infinito Universo.

Se nós não percebemos nada disso é porque, de puro indolentes, imaginamos que o amor deva ser uma espécie de salvação alienígena que venha a nos premiar com uma percepção e estado de espírito fantásticos. O espetáculo que compensaria todas as agruras, mas uma imaginação passiva, algo que deveria nos acontecer e nunca nós o fazendo acontecer.

Amor é o que nós precisamos exercitar, abrindo as portas de nossas próprias percepções, partindo do princípio dessa hipótese de tudo estar conectado e verificando essa realidade através de nossos atos.

Dessa forma, em vez de esperar ser amados tomaríamos a iniciativa de amar, irradiando nossa melhor influência.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.