Amor próprio e impróprio

Amor próprio e impróprio

Oscar Quiroga

10 de fevereiro de 2014 | 04h33

 

Às 4h33 de segunda-feira 10-2-14 a Lua que cresce ingressou em Câncer e está em trígono com Mercúrio e Netuno, quadratura com Urano e conjunção com Júpiter até 3h27 de terça-feira 11-2-14, horário de verão de Brasília.

Quando teu amor próprio for excessivo, então terá se tornado impróprio.

O amor próprio sempre te protegerá dos abusos que as pessoas cometem, te ajudará a construires uma imagem razoavelmente boa de tua própria presença e isso te servirá para navegares na complexidade do mundo sem te desintegrares.

Porém, se esse amor próprio for excessivo, acontecerá tudo o contrário, e será impróprio.

O amor próprio impróprio te fará abusar das pessoas. O amor próprio impróprio te enganará a respeito de teu valor, inflacionando o que na prática não vale nada. O amor próprio impróprio te fará complicar o que seria simples.

O amor que é próprio te fará desejar que as pessoas próximas sejam felizes e Tu farás o necessário nesse sentido. O amor que é impróprio te fará desejar que as pessoas próximas te sirvam e Tu as tratarás como objetos no tabuleiro de um jogo no qual só Tu brincas, numa masturbação interminável, sem gozo, pois só se pode gozar pelo amor que é próprio, o que compartilha.

O amor que é próprio te fará sair de ti e enxergar o infinito. O amor que é impróprio te convencerá de que o mundo és Tu e te transformará num buraco negro que consumirá recursos infinitos.

O amor próprio se torna impróprio sem prévio aviso, pela inércia de tua auto-exaltação.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.