Agir

Agir

Oscar Quiroga

06 de julho de 2013 | 16h49

 

Das 16h49 de quinta-feira 4-7-13 até 9h31 de sábado 6-7-13, horário de Brasília, a Lua que míngua em Gêmeos está em sextil com Vênus e Urano e em conjunção com Marte.

É impossível fazer nada! Ainda que você se jogue num sofá e decida nunca mais fazer nada, na mais absoluta e catatónica das depressões, render-se à inércia é também uma ação, ou seja, você estaria fazendo alguma coisa.

À matéria com que nossos corpos, visíveis e invisíveis, são feitos, lhe são inerentes três movimentos, que se alternam e misturam o tempo inteiro, impedindo que haja qualquer coisa parecida com a “não ação”.

Esses três movimentos, ou qualidades da matéria, são o impulso, a inércia e o ritmo harmônico. Em sânscrito chamados de Rajas, Tamas e Satva.

Por isso, decidir não fazer nada seria apenas questão de um instante, não podendo se sustentar essa decisão por muito tempo.

Tudo isso para afirmar que este seria o período propício para ultrapassar a insensata decisão de se manter à margem das situações que requerem sua atenção e intervenção.

É neste momento que se torna propício intervir, ainda que de forma estabanada e a despeito que pela atrapalhação pareça que você cria problemas em vez de soluções.

Não se pode pretender manter a vida paralisada, sustentada numa decisão de não intervir, quando tudo conspira para que o movimento, próprio da vida, promova a intervenção que você vem evitando.

É impossível melhorar o mundo sem fazer nada. É impossível prosperar aguardando perpetuamente por isso acontecer sem esforço.

Agir é propício. Agora é a hora!

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.