A validade das resoluções

A validade das resoluções

Oscar Quiroga

06 de dezembro de 2012 | 01h35

Da 1h35 de quinta-feira 6-12-12 até 8h37 de sexta-feira 7-12-12, horário de verão de Brasília, a Lua que transita por Virgem completa a fase quarto minguante em quadratura com Júpiter, trígono com Marte e sextil com Vênus e Mercúrio.

Verifique as resoluções que você estabeleceu no fim do ano passado e veja a quantas anda o curso das coisas. Ficou muito para trás? Há muita defasagem entre as esperanças de outrora e a realidade concreta da atualidade?

Antes de começar a fazer novas resoluções, limpe a área de sua mente e coração, verificando se por acaso você está viajando demais nas fantasias, desconsiderando a realidade e o seu poder de alcance.

Fazer resoluções significa amarrar um pedaço de infinito, definindo limites para o que não tem limitações. Porém, apesar de parecer impossível, é isso mesmo que acontece quando fazemos resoluções, pelo nosso poder criativo somos capazes de limitar o infinito.

Nesse momento, pela própria limitação, colocamos em marcha a Lei dos Ciclos, pois o tempo é uma manifestação da limitação do infinito que, apesar de conceder a nós essa possibilidade de limitação, pela sua própria natureza estipula que em algum momento do futuro, infalível, se libertará.

Por isso, nossas resoluções, pequenas ou grandes, têm período de validade.

Da mesma forma com que, limpando gavetas e armários, você se livraria de comida ou remédios com validade vencida, faça o mesmo com resoluções que já não precisam mais ser mantidas, já que não teriam mais utilidade.

Antes de fazer novas resoluções, se livre das que não precisa mais carregar em sua alma.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.