A tragédia humana

A tragédia humana

Oscar Quiroga

23 de maio de 2012 | 23h30

Das 23h30 de quarta-feira 23-5-12 até 7h59 de quinta-feira 24-5-12, horário de Brasília, a Lua que cresce em Câncer está em oposição a Plutão e sextil com Marte.

Quando o ser humano resiste a reconhecer que haja outra possibilidade de perceber a realidade que não seja a dos sentidos e, por isso, constrói todo seu destino em dependência dos prazeres e dores que os sentidos físicos promoverem, sistematicamente se apega a essas experiências em busca de paixões, sem que necessariamente essas sejam sempre provedoras de gozo.

De forma inexorável surgirá, então, a Ira, já que na tentativa de repetir gozos descobrirá ser impossível garanti-los, ainda que reproduzindo os mesmos comportamentos que outrora garantiam o prazer.

A Ira promoverá a falta de discernimento, daí provirá o obscurecimento da memória, o ser humano não mais lembrará sua origem cósmica; seu intelecto se debilitará e assim será cada vez mais difícil se abrirem os olhos subjetivos para o humano perceber outra realidade e se libertar do labirinto que seus próprios passos criaram.

Cheio de raiva, o ser humano destruirá sistematicamente todos que lhe são próximos, mesmo que amando-os e desejando-os.

Eis a tragédia humana provocada por falta de discernimento.

Próximo boletim será publicado às 7h59 de 24/5/12

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.