A noite escura da alma

A noite escura da alma

Oscar Quiroga

06 de julho de 2014 | 17h12

 

Às 16h33 de domingo 6-7-14 a Lua que cresce ingressou em Escorpião e está em trígono com Netuno, sextil com Plutão, trígono com Sol, conjunção com Saturno e trígono com Júpiter até 19h32 de terça-feira 8-7-14, horário de Brasília. No mesmo período, Vênus e Urano em sextil, Sol e Urano em quadratura.

Dentre todos os conflitos que te pressionam, constrangem e limitam tua alma escolheu uma linha de atuação, pois a dualidade te cansou, a oscilação te drenou as forças e o equilíbrio ansiado poucas vezes aconteceu. Então, tua alma cansada escolheu ainda que não tenha o registro consciente dessa escolha.

A prova de tua escolha é que te encontras no campo de batalha e te reconheces como uma alma guerreira, que anseia agora emergir triunfante da batalha.

O conflito se transformou em prova, em todas as provas ensaias uma vida nova e melhor, algumas vezes triunfas, noutras te sentes a raspa do tacho que todos desprezam, nem sequer as pessoas que supostamente deveriam te amar e apoiar se encontram ao teu lado, estás verdadeiramente só.

Tuas crises são agora fenomenais, dignas de filmes épicos, mas não há ninguém com quem compartilhá-las, estás na noite escura da tua própria alma, sabes que o momento da reorientação definitiva está por aí, bem próximo, bem disponível, mas na escuridão em que te encontras não enxergas sequer as palavras que de tua boca saem.

Quando pensaste chegar ao fundo do poço ainda aparece um alçapão que te conduz a profundezas inimagináveis, porém, o que pareceria uma tragédia absoluta vai se convertendo em força renovada, em anseio firme de enxergar novamente a meta que permanece intacta.

O veneno que inoculaste em ti se transforma em remédio.

Tu emerges triunfante do campo de batalha, que é eminentemente subjetivo.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: