À beira da explosão

À beira da explosão

Oscar Quiroga

16 de novembro de 2012 | 08h37

Às 8h37 de sexta-feira 16-11-12 a Lua que cresce ingressou em Capricórnio e está em sextil com Netuno, quadratura com Urano, sextil com Saturno e conjunção com Plutão até 21h18, horário de verão de Brasília.

Suportando pequenos e grandes abusos todos os dias e, tendo se acostumado com que o assunto seria passar para frente esse panorama injusto de coisas, a alma humana chega ao momento em que explode, talvez não tão definitivamente quanto o necessário, mas promovendo cenas de ataques de nervos explícitos, mediante os quais profere frases sinistras e violentas.

Poderia tudo ser diferente e nada disso acontecer, mas a alma humana engole cada sapo! E por isso não é surpreendente que se ouçam gritos assustadores vindos dos sacrossantos lares, de lá mesmo onde se cozinham as novas gerações que um dia governarão países, comandarão empresas e redigirão leis.

Que geração será forte o suficiente para deter o torrencial de abusos? Quem vai ter presença de espírito forte o suficiente para declarar que os abusos tidos como normais terminam aí mesmo?

Esperanças de um futuro incerto, um dia veremos a humanidade se cansar de si mesma e de existir como uma paródia do que reconhece ser seu verdadeiro destino.

Enquanto isso, as velhas novas gritarias e abusos continuarão sendo cometidos, todos com argumentos justos e racionais, mas no frigir dos ovos esses ataques de nervos são apenas uma coisa, incompetência.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.