24 horas de Luz Cósmica

Oscar Quiroga

12 de agosto de 2011 | 00h49

 

Às 0h49 de sexta-feira 12-8-11 a Lua Cheia ingressou em Aquário e permanece em quadratura com Júpiter e trígono com Saturno até 0h57 de sábado 13-8-11, horário de Brasília.

 

Nesta hora sagrada em que a Luz Cósmica é derramada durante 24h no planeta Terra (horas do sol direto de dia e horas de sol refletido na Lua Cheia de noite), as trevas tremem e temem e reagem com desespero violento.

Por isso os plantões dos hospitais e delegacias entopem de casos, já que o ser humano não está apto a metabolizar essa fluência de luz cósmica e pelo véu trevoso que cobre sua percepção acaba distorcendo tudo e fazendo parecer que o tempo da Lua Cheia seja dos monstros. Não é! Os monstros desesperam na Lua Cheia porque dança alegre e descontraído o espírito que lhes faz compreender sua futilidade e assim os exorciza.

Tristemente, nossa humanidade presta atenção aos monstros enquanto dá as costas à luz que os empurra para a periferia do sistema.

Porém, aqueles que olham para o lado certo, a fonte da Luz, neste momento sabem que é propício elevar orações alegres e descompromissadas em benefício de todas as pessoas honestas que há entre o céu e a terra. Sem buscar recompensa acabam encontrando-a também, suas almas são contempladas com um prazer que nenhuma outra experiência poderia fornecer.

Ao mesmo tempo e considerando o acúmulo de erros ancestrais, esta é uma hora propícia para saldar antigas dívidas.

 

Próximo boletim será publicado às 0h57 de 13/8/11

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: