Meus “piores” votos para 2017
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Meus “piores” votos para 2017

Sheila Leirner

31 Dezembro 2016 | 12h08

“Tudo que pode ficar ruim, ficará.” (Ou “a torrada sempre cai do lado da manteiga.”) – Lei de Murphy

“Tudo que pode ficar bom, ficará.” (Ou “a torrada também cai do lado certo.”) – Lei de Leirner

Como os amigos e leitores queridos só receberão votos do melhor para 2017 – o que é uma grande hipocrisia pois todo mundo sempre acredita na lei de Murphy – decidi lhes desejar o “pior”, que é o que às vezes justamente nos dá a dimensão do melhor:

Lei de Murphy

? Assista a filmes estúpidos que você acha deliciosos.
? Leia os livros de que tem vergonha.
? Assista aos programas cretinos de TV com a curiosidade de um entomologista, a compreensão de um sociólogo e o saber de um filósofo.
? Faça o mesmo quando visitar exposições de arte saídas das “indústrias do entretenimento” que são mantidas por certos artistas de carreira.
? Coloque o jogging e, em vez de ir correr, estatele-se no sofá.
? Arrependa-se do que poderia ter feito e não fez. Se possível, faça agora.
? Hesite ao tomar decisões.
? Saiba encontrar aventura em canto de rua, ao invés de correr o mundo.
? Não economize para férias paradisíacas e aborrecidas.
? Deixe para dormir mais cedo e acordar mais cedo apenas quando não puder dormir mais tarde e acordar mais tarde.
? Não faça caridade para aliviar a sua consciência. Lembre-se de que você também precisará da “caridade do seu pobre que é”, como dizia Tolstói, “lhe tolerar”.
? Telefone menos por obrigação, e fale mais e melhor quando ligar a alguém para saber como ele está.
? Faça tudo que não é recomendado, quando a vontade for maior do que a sua culpa. E nada do que não é recomendado, caso contrário.
? Não escute por educação, e não ria de, histórias que não lhe interessam. Querer agradar não agrada.
? Não esqueça que autocontrole excessivo só faz bem aos outros. Os que não “enlouquecem”, por exemplo, são muito confortáveis. Mas é preciso ver como é que a loucura deles está por dentro.
? Continue a fazer piadas mesmo que só você as ache engraçadas. Dar risada sozinho, já está ótimo. É de Einstein a conclusão de que “o humor é a única coisa absoluta neste mundo.”
? Não se sinta culpado por esquecer aniversários. E também não fique esperando que lembrem o seu. Aliás, nunca espere nada de ninguém. Assim, o que vier será sempre uma boa surpresa.
? Seja curioso e intrometido quando o contrário for a indiferença.
? Pare de pensar que o seu valor é medido pelo que você tem, ganha ou consegue. Sucesso não o mede. “Valor” é apenas o humano.
? Deixe para amanhã as coisas que você pode, porém não quer fazer hoje.
? Esqueça as “boas resoluções” de ano novo que, de todo modo, você não vai cumprir.

 

Há vários votos “piores” para fazer, mas o que desejo de muito “ruim” a todos, e de coração, é que não pensem no amanhã. Pelo menos, não sempre. Viver alegre e seguramente o cotidiano, neutraliza a lei de Murphy. Faz com que a fatalidade saia perdendo diante do desejo de vida e a torrada com manteiga e geleia continue no seu prato. E faz também com que você, ao contrário do que se acredita, “escolha sempre o bom lado da fila”.

 

O bom lado da fila

 

Até a próxima, que agora é hoje e viva 2017!