Crônica de uma queda anunciada
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Crônica de uma queda anunciada

Sheila Leirner

27 Outubro 2018 | 13h38

Como os comentários deste blog estão desativados, recebi várias intimidações de grande violência em outros sites. A maior parte vinda da extrema-direita que proferiu ameaças graves e me insultou “por pertencer ao PT” (como se eu fosse de esquerda), outra parte vinda da esquerda que me acusou e também atemorizou “por não defender o PT” (como se eu fosse de direita).

Marc Chagall (1887 – 1985), “La Chute d’Icare” (A Queda de Ícaro), 1974/1977. Óleo s/ tela.

Até agora a minha reação foi deletar as ameaças. Contudo, mais uma mensagem com esse teor, é claro, encaminharei, através deste jornal, à Polícia Federal. Isto, quer esteja ou não se delineando no nosso país uma espécie de novo CCC (Comando de Caça aos Comunistas), do qual me lembro muito bem durante a ditadura.

Estas reações diametralmente opostas (de direita e de esquerda) dirigidas a uma mesma pessoa porque ela defende o direito ao voto em branco e aponta a mundialização do mal, sem deixar de emitir suas opiniões, para mim representam, além do mais, o cúmulo da esquizofrenia e covardia. Sem encontrar as referências e os lugares comuns aos quais está habituado, e para que possa expelir o seu ódio de alguma maneira, o leitor obtuso se ocupa de dissociar ação e pensamento, colocando o autor na gaveta que lhe for mais conveniente.

A hora é grave

Por isso, é bom lembrar. Penso que amanhã, dia 28, com a eleição da autoridade máxima da República, chefe da Polícia Federal e comandante supremo das Forças Armadas, há graves perigos que espreitam nas duas hipóteses:

1. Fernando Haddad vencedor (menos provável) = Petistas viram bode expiatório pelo caos em que deixaram o país. Possível guerra civil.

2. Jair Bolsonaro vencedor (mais provável) = Concretização das ameaças e dos discursos de ódio. Caça às bruxas. DEPURAÇÃO. Possível guerra civil.

Voto nulo, branco, abstenção ou voto válido, tanto faz. Do ponto de vista eleitoral, com os votos nulos, uma parte da população (a determinar) estará em posição de DESOBEDIÊNCIA CIVIL. Do ponto de vista financeiro, a bolsa pode subir ou cair. Mas do ponto de vista político, social e humano, deveremos nos preparar para o desmoronamento e o obscurantismo, antes de conseguirmos renascer das cinzas.

Até a próxima, que agora é hoje!

Pablo Picasso (1881 – 1973)
, “A Queda de Ícaro”, 1958 (40 painéis, 90 m², aquisição feita pela UNESCO em Paris).