Castelos para todos!
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Castelos para todos!

Sheila Leirner

05 Julho 2016 | 19h48

Castelo de Chambord

Castelo de Chambord, que foi danificado pelas enchentes deste ano

“Quem nunca viu castelo, admira até chiqueiro”. Deve ser por causa deste provérbio iugoslavo que Google acaba de firmar um acordo com 18 castelos do Vale do Loire que, daqui para o futuro, poderão ser visitados virtualmente por todas as pessoas. Ou, talvez, seja também porque, com as enchentes e a crise, os castelos estejam realmente precisando de ajuda.

Antes, os reinos eram dos reis. Hoje eles se chamam Internet e são do gigante americano, que os estende mais uma vez.  Já parceira de mais de mil museus e instituições culturais no mundo, a empresa resolveu sobrevoar e aterrissar nas fantásticas residências senhoris desta região da França.

“Nem todos tem a sorte de poder se deslocar para descobrir com seus próprios olhos estas maravilhas”, explicou o Instituto cultural de Google, cuja filial, baseada em Paris, trabalha há tempos na digitalização de obras de arte expostas no mundo inteiro.

Como ainda não conseguimos ficar blasés, com todas as viagens virtuais que realizamos por meio de Google, o resultado continua espetacular! Graças à mesma tecnologia de captura Street View, boa parte dos extraordinários Castelos do Loire – entre os quais os de Chambord (foto), Chenonceau ou ainda Azay-le-Rideau, além de quatro grandes jardins – podem ser visitados virtualmente em 360°. Mesmo os espaços habitualmente fechados ao público, são expostos. Vários foram sobrevoados e as tomadas aéreas gravadas em três dimensões, de forma vertical, em 45°.

Outra tecnologia, inteiramente automatizada, a chamada “Arte Câmera”, de resolução extremamente elevada, agora permite descobrir os detalhes de uma obra de arte, invisíveis a olho nu. Como o “teto oriental” (foto) do Castelo de Villandry  ou a “Tapeçaria do Apocalipse” de Angers (com mais de 100 metros de comprimento) que fui ver – com certo esforço, aliás – mas, pelo jeito, não vi direito. Doravante só verei em pormenores, e sem esforço, pela disposição benévola e gratuita de Google.

Até a próxima que agora é hoje e, pelo menos, resta um consolo: às vezes é melhor visitar castelos sem sair de casa do que passar, em carne e osso, por lugares assombrados!

Os Castelos do Loire – Teaser

 

Teto oriental do Castelo de Villandry

Teto oriental do Castelo de Villandry