Artistas e gatos. História de amor para o último dia do ano
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Artistas e gatos. História de amor para o último dia do ano

Sheila Leirner

31 de dezembro de 2018 | 16h19

O derradeiro dia do ano, geralmente é tempo de fazer lista: dos melhores, piores ou ambos. Como não gosto de listas, a minha é uma série desordenada de imagens, cujos únicos pontos comuns são a arte e estes pequenos mamíferos peludos que tantos de nós adoramos, mesmo sabendo que a família deles é aquela dos carnívoros digitígrados*, de focinho curto, longos dentes caninos carniceiros e dedinhos com garras. E como salta essa espécie amada de felídeo!

Para Jean Cocteau (1889-1963) os gatos são feitos para “se transformarem na alma de uma casa”. Para Stéphane Mallarmé (1842-1898) “os gatos são feitos para guardar carícias”.  Para mim, os gatos também são feitos para ensinar coisas importantes aos artistas e filósofos. Como existir e curtir a vida, por exemplo. Simplemente e sem perguntar porquê.

Até 2019, que agora é hoje, com os meus votos de um ano sereno e feliz, como o dos gatos, para todos!

 

** Digitígrado: que ou aquele que anda sobre os dedos, como os gatos, cachorros, etc.