Jeff Daniels tenta corrigir os erros da mídia em ‘The Newsroom’

Estadão

05 de agosto de 2012 | 00h42

The Newsroom

Foto: Reprodução

Como produzir jornalismo de qualidade em uma época em que a audiência e o sensacionalismo valem muito? Esta é uma das questões centrais de The Newsroom, série que estreia neste domingo na HBO, às 21h. O show, que está no ar nos EUA desde junho, tem Jeff Daniels no papel central como o âncora de TV Will McAvoy. Ácido, irônico, impaciente, McAvoy tem sua rotina mudada quando, em um evento com estudantes, afirma que os EUA não são mais o melhor país do mundo, e que precisa melhorar muito para voltar a ser o que era. A afirmação de McAvoy causou grande repercussão na mídia, e a polêmica o levou a tirar “umas férias” da TV. Ao voltar ao trabalho, ele descobre que parte de sua equipe foi transferida para outro show, junto com seu produtor-executivo Don  (Thomas Sadoski). A situação fica ainda mais delicada quando ele descobre que a substituta de Don é Mckenzie McHale (Emily Mortimer) sua antiga namorada.

Conflitos pessoas e profissionais começam a se misturar nos bastidores da produção de um jornal de TV. Will McAvoy, âncora preocupado com a audiência, além de querer agradar conservadores e liberais, terá de se submeter à nova proposta de McKenzie, que é fazer jornalismo de qualidade e provocar o debate sobre temas polêmicos, mas acima de tudo, dar à população informações relevantes. Mesmo que isso custe a redução do número de telespectadores. Ah, e o lado pessoal…McAvoy e Mckenzie ainda têm assuntos mal-resolvidos. Toda essa tensão dá o toque especial à trama.

The Newsroom é um drama criado pelo talentoso Aaron Sorkin – que já ganhou quatro prêmios Emmy e um Oscar (como roteirista do filme “A Rede Social”). Sorkin sempre foi fascinado pelos bastidores da notícia e da produção de TV, tanto que em sua lista de séries há pelo menos duas que tratam sobre o assunto: Sports Night (1998-2000) e Studio 60 on the Sunset Strip (2006-2007). Em uma de suas séries mais famosas, The West Wing, Sorkin também mostra os bastidores, mas dessa vez da Casa Branca. No cinema, além de “Rede Social”, ele também foi roteirista de filmes como “Meu Querido Presidente” e “Questão de Honra”.

Apesar de a história ter como pano de fundo uma rede de TV fictícia (o canal ACN), os temas abordados no jornal comandado pelo personagem de Jeff Daniels são baseados em assuntos reais. Em recente entrevista à imprensa, Aaron Sorkin explicou que utiliza fatos que se passaram há no mínimo 9 meses até 1 ano ‘na vida real’. E é exatamente o que deixa The Newsroom ainda mais atraente.

Jeff Daniels, ótimo ator, convence muito bem no papel de Will McAvoy. Seu olhar ausente e fatigado na cena inicial, durante a palestra para estudantes, além de sua ‘explosão’ no discurso de “não vivemos em um país perfeito” é a melhor parte da série até o momento. Puro talento. Qualquer semelhança a “Débi & Lóide” é meramente absurda. Mas como todo drama que tem uma pitada da verdade inconveniente, The Newsroom não agradou a  muita gente. Críticos disseram que a série retrata as mulheres como estúpidas, burras. Particularmente não concordo. A prova disso é a própria Mckenzie, produtora de sucesso, jornalista que cobriu a guerra no Afeganistão. Enfim, críticas à parte, o fato é que Aaron Sorkin não gostou muito da falação, e boa parte da equipe de escritores e roteiristas foi substituída para a segunda temporada, já confirmada pela HBO.

Nos EUA, a série tem obtido média de 2 milhões de espectadores, número considerado bom para os padrões da HBO, canal de TV a cabo americana. O drama só fica atrás de Game of Thrones e The Boardwalk Empire, os shows mais populares da emissora.

Além de Jeff Daniels e Emily Mortimer, a série conta com John Gallagher Jr, Allison Pill, Olivia Munn, Dev Patel, Sam Waterston e Thomas Sadoski no elenco, além de participações especiais de Jane Fonda, como a diretora do canal de TV.

Assista abaixo ao trailer de The Newsroom. Na página da HBO há mais vídeos sobre o show.

Tendências: