‘Tio Frank’, com Paul Bettany, faz uma viagem a sentimentos escondidos

‘Tio Frank’, com Paul Bettany, faz uma viagem a sentimentos escondidos

Dirigida por Alan Ball, história, que se passa no ano de 1973, vai revelando histórias doloridas; veja trailer

Eliana Silva de Souza

18 de dezembro de 2020 | 10h45

Paul Bettany e Sophia Lillis em cena do filme 'Tio Frank' (foto Amazon Prime)

Paul Bettany e Sophia Lillis em cena do filme ‘Tio Frank’ (foto Amazon Prime)

Um filme para refletir sobre a nossa sociedade e sobre quanto a visão das pessoas, umas sobre as outras, influencia o modo de vida que levamos. Ótima opção no catálogo da Amazon Prime Video, Tio Frank (Uncle Frank) mistura drama e humor ao retratar as relações familiares abaladas pelo preconceito e discriminação no que se refere à sexualidade de cada um.

Dirigida por Alan Ball, história, que se passa no ano de 1973, começa com uma reunião de família. Todos interagindo, apenas Frank (Paul Bettany) está isolado, em um canto, fumando e distante do resto dos familiares. Quem se aproxima dele e começa a conversar sobre seus objetivos na vida é Beth (Sophia Lillis), sua jovem sobrinha. Tempos mais tarde, a garota parte de sua cidadezinha rumo a Nova York para fazer faculdade, a mesma em que seu tio leciona.

Logo Beth descobre que o tio é homossexual e que mora com seu namorado Wally (Peter Macdissi), um imigrante árabe. O maior problema de Frank tem relação com o pai, e aí existe um problema escondido, que será revelado no decorrer da trama. Com a morte do pai, Beth e Wally convencem Frank a ir ao enterro. Relutante, aceita e retornará à cidade e à família, em uma viagem ao passado, revivendo dores e sentimentos guardados.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.