Série de comédia ‘Special’ sai do armário com ator ‘especial’

Série de comédia ‘Special’ sai do armário com ator ‘especial’

Leandro Nunes

30 de maio de 2019 | 03h00

Um acidente de carro pode ser motivo de riso e servir como uma boa desculpa na divertida Special, autobiografia de Ryan O’Connel disponível na Netflix. A série constrói em ligeiros oito episódios – cada um com pouco mais de 15 minutos – a saga de independência e descoberta do jovem protagonista.

Portador de uma leve paralisia cerebral, O’Connel assina o roteiro e atua pela primeira vez. Na história, ele arruma um emprego em uma redação em busca de uma vida social mais agitada. A pressa em sair debaixo da saia de sua mãe atrai alguns acidentes. No caminho do trabalho, ele é atropelado e isso servirá para não ter que falar sobre sua condição para os novos colegas de trabalho.

Ryan O’Connel. Ator (esq) tem leve paralisia cerebral. FOTO: Netflix

Sobrevivente com alguns leves arranhões, ele descobre que haverá desafios maiores do que sobreviver a um atropelamento: o amor. Special não perde tempo em dizer que O’Connel é gay. Na cena da festa na piscina, a reação tímida de um rapaz de 30 anos que nunca namorou aponta para o tamanho da encrenca e isso pode ser desajeitado.

A mãe de O’Connel, Karen (Jessica Hecht) é a figura que sempre fez tudo pelo garoto. Enquanto ainda tenta se mostrar útil para o rapaz, ela gasta tempo espiando a vida do charmoso vizinho. Com bons diálogos e um pouco de drama, a relação familiar em Special passará por umas revisões, incluindo palavras duras e ditas no calor da hora. O próprio título da série ironiza essa maneira suavizada – e porque não, carinhosa – de se referir aos deficientes.

Feita para assistir em uma tarde, a série retrata a busca de O’Connel por uma vida em que possa trabalhar, ser independente e explorar seus desejos por outros rapazes, com direito a uma delicada cena de sua primeira vez. A amizade com Kim (Punam Patel), sua colega de trabalho, cria bons momentos na série, atualizando um olhar sobre as mulheres negras e com curvas, e as mil possibilidades de se estar bem vestida.

Mas não há espaço apenas para rostinhos bonitos e bem intencionados. Olivia (Marla Mindelle) brilha como a chefe sem noção que comenta a vida de seus funcionário na frente de todos. Por ser curto, cada episódio de Special nem sempre ganha um final, o que pode mudar na segunda temporada, que prevê episódios com mais de 15 minutos.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.