Documentário da Netflix reconstitui, de maneira sensível, uma secreta história de amor

Documentário da Netflix reconstitui, de maneira sensível, uma secreta história de amor

Adriana Del Re

04 de junho de 2020 | 09h00

Em meio a tantas opções de documentários na Netflix, vale a pena dar uma atenção especial ao tocante Secreto e Proibido, produzido por Ryan Murphy (criador da série Hollywood, também disponível no serviço de streaming) e Jason Blum. Conta a história de amor e (de resistência) de Pat Henschel e Terry Donahue, e de seu longo relacionamento, que ficou em segredo por quase 70 anos.

A história do longo relacionamento entre duas mulheres. Foto: Netflix

Na década de 1940, a canadense Terry se mudou para os EUA, para fazer parte da primeira liga feminina de beisebol – retratada no filme Uma Equipe Muito Especial, com Tom Hanks e Geena Davis, de 1992. Lá, conheceu Pat, e as duas começaram a namorar.

Para o mundo exterior, no entanto, passavam-se por grandes amigas, já que lésbicas e gays eram perseguidos, presos e tinham a sexualidade exposta nos jornais. Assim, decidiram manter a relação em segredo e cultivaram uma vida paralela. Para a família, só decidiram ‘sair do armário’ mais recentemente.

O diretor Chris Bolan mostra esse processo de descoberta dos parentes, com as duas já na terceira idade. Após a revelação, vem a decisão de oficializar a união, depois de tantas décadas.

Além de boas personagens, o documentário tem a seu favor o farto acervo fotográfico e em película preservado pelas duas – e que ajuda a reconstituir essa bela história de amor.

Assista ao trailer:

Tudo o que sabemos sobre:

Netflixsecreto e proibido

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.