"Você diz que detesta o mundo real, mas eu acho meio mentira"
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

"Você diz que detesta o mundo real, mas eu acho meio mentira"

Ricardo Lombardi

13 de abril de 2009 | 06h01

Circular: “Você diz que detesta o mundo real, mas eu acho meio mentira. Por que não uma guerra de uma vez por todas? Snipers contra o mundo real, bazucas contra a paisagem vista pela janela? Tanques contra a rua disso, o restaurante daquilo? Por que esse orgulho por conhecer restaurantes reais? Eu ignoro o seu restaurante real, embora tenha comido nele e goste e queira voltar porque o macarrão estava bom. Mas sei lá, fui trazido até ele em meio a uma vaguidão dos sentidos, deixei o carro com o manobrista enquanto pensava em Moonlighting ou The Moonstone. Por que esse orgulho de conhecer de nome o presidente da empresa tal, ‘tá comendo aquela menina da novela’? Limite o seu conhecimento a personagens de ficção e seus namoricos. Por que ler biografias da empresária Dorita Campello (inventei), por que ler as vidas de gente que viveu aqui nesse mundo de verdade, junto com – mas nem consigo me lembrar de um nome pífio do mundo real – junto com, lembrei de um, mas tenho nojo de escrever – por que ler essas reportagens, oh a história da Globo, do Estadão, do cerco de Stalingrado! Se diz que odeia o mundo real, odeia com gosto, e apaga da memória o nome desses restaurantes todos e bares – ‘lá onde era o Tio Pedrito, sabe?’, e alguém sempre sabe – ‘noooossa, famoso Tio Pedrito, virei muita madrugada lá com a turma do Bambão lembra do Bambão?’ – não não lembro do Bambão, esquece o Bambão e o Tio Pedrito, ignora completamente a geografia da cidade e a história dela nos últimos quinze anos. O mundo real é só para o seu corpo real e banhudo, resfolegante entre a avenida Jacurici e a alameda Comendador João Azeviche: sua mente não tem que tocar com seus pezinhos delicados de aristocrata nada que fique para fora de um romance russo do século dezenove ou de um conto de Nine Stories ou da caixa com a primeira temporada de uma boa série feita por volta de 2006.

Acha exagero falar em guerra? Acha que essa guerra já não existe? Cada vez que um retardado no cinema grita ‘Oh, até parece!’, ou ri porque mostraram um parque na avenida que vixe todo mundo sabe que não tem parque, esse é o momento em que um soldado raso mequetrefe da vida real está atirando contra o mundo de mentira. E por Júpiter, somos patriotas do mundo de mentira. Ou sejamos! Grandes hussardos de bigode e astracã do mundo fictício, atirando desprezo e ignorância e total inexperiência contra os costumes, as ruas, os bares e as pessoas do mundo real.”

(Alexandre Soares Silva, lá no blog dele). A foto é daqui.