As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Vida digital depois da morte

Ricardo Lombardi

03 de setembro de 2007 | 08h32

Uma história que marca o espírito do nosso tempo: o Wall Street Journal publicou o depoimento de uma mulher que ouviu o seguinte pedido da mãe, que estava à beira da morte: “Cuide do meu eBay”. Ela era uma usuária habitual do site de leilões e não queria que sua reputação fosse afetada, já que a conta dela continuaria lá, ativa. Uma retranca separada levanta uma questão: na era da internet, qual é a política das empresas digitais (portais, sites de relacionamento, etc) em relação a esse tema? Se alguém morre, os parentes recebem as senhas?

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.