As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

O fim inevitável

Ricardo Lombardi

14 de março de 2008 | 08h54

Para quem se interessa pelo tema, vale ler esta matéria de ciência publicada pelo Boston Globe: “Fatal flaw — Some doctors suggest that the modern definition of ‘death’ is wrong — and that the mistake is costing lives“. É isso: o que os médicos acham que a morte significa, o que diz a lei, e quais são (segundo o autor do texto), as possíveis falsas justificativas, no sentido clínico, que os médicos usam quando retiram um órgão de um doador. Sobre o mesmo assunto: já pensou em criar um “kit de planejamento” para o caso de você morrer? O Washington Post fez uma reportagem sobre isso: “Hey, It’s Your Funeral — You Don’t Have to Be at Death’s Door to Do A Little Planning for Your Final Farewell” (algo como “Ei, é o seu funeral — Você não precisar estar à porta da morte para planejar o seu adeus final”). A matéria diz que uma apostila/kit de 20 páginas com o título de “Before I Go, You Should Know” está disponível por US$ 10 no site Funeral Consumers Alliance.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.