O anti-Banco Imobiliário
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

O anti-Banco Imobiliário

Ricardo Lombardi

23 de setembro de 2008 | 06h40

Dica do Christian Carvalho Cruz, da Revista da Semana: “Se você tem uma ideologia de esquerda anti-capitalista e não quer que seu filho aprenda desde jovem a ser um capitalista selvagem jogando Banco Imobiliário, o Anti-Monopoly foi feito sob medida para você! No Anti-Monopoly as regras são diferentes do Banco Imobiliário normal que estamos acostumados. Os jogadores são divididos em dois grupos:
‘Competitors’ (competidores) e ‘Monopolists’ (monopolistas), cada um desses grupos tem regras diferentes. O grupo “Competitors” cobra aluguéis a um custo razoável, constrói assim que consegue uma propriedade, sempre coloca 5 casas em suas propriedades e ocasionalmente entram em uma ‘Price War’ (guerra de preços). Já o grupo ‘Monopolists’ cobra alugueis exorbitantes de seus inquilinos pobres, só começa a construir quando tem um grupo inteiro na mão, restringe a oferta colocando apenas 4 casas em suas propriedades e ocasionalmente vão para a cadeia.

Os mocinhos, é claro, são os jogadores do grupo “Competitors” e os bandidos são os “Monopolists”. Como os jogadores usam regras diferentes uma “técnica patenteada de probabilidades” assegura a justiça e dá chances iguais de vitória aos dois lados.

Logo depois do lançamento do Anti-Monopoly os donos do Banco Imobiliário original ordenaram a destruição do novo jogo e exigiram um pedido de desculpas públicas. Durante 10 anos de briga na justiça o Anti-Monopoly teve sua venda proibida por 6 anos e 40.000 jogos foram enterrados em um lixão em Minnesota. Desde então duas cortes de apelação já deram ganho de causa para o Anti-Monopoly.

O jogo Anti-Monopoly custa US$20,95 e pode ser comprado diretamente no site Anti-Monopoly.” (Enviada por Lia Bock).

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.