Millet e o "Dia de Sofrimento"
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Millet e o "Dia de Sofrimento"

Ricardo Lombardi

27 de outubro de 2008 | 06h42

Sugestão de leitura: a entrevista que Catherine Millet deu para o Nouvel Observateur, na ocasião do lançamento de seu novo livro, “Dia de Sofrimento”. Diretora da revista Art Press, ela causou um certo alvoroço no mundo literário ao lançar, em 2001, o livro “A Vida Sexual de Catherine M.”, em que narra suas experiências sexuais com diversos parceiros, muitos deles anônimos. Sete anos depois, ela conta em seu novo livro “como o ciúme penetrou em seu casamento”. A entrevista foi traduzida e publicada pelo jornal Folha de S.Paulo. Abaixo, um trecho:

“A sra. resume muito bem o dilema que a atormenta, definindo-se ao mesmo tempo como uma mulher “constante em seu casamento” e “sexualmente versátil”.
MILLET –
Direi ainda mais. Acho que, se pude ter a vida sexual desenfreada que foi a minha durante algum tempo, foi precisamente porque estava muito estável no amor, muito sólida em meu casamento. É porque eu não tinha nenhuma necessidade afetiva não satisfeita que podia encontrar prazer indo de um parceiro a outro. Eu tinha amor em casa, eu podia buscar apenas o prazer fora dela.

Podemos dizer, para resumir, que a sra. tem dois corpos -o do amor, do qual é proprietária, e o do prazer, do qual é locatária?
MILLET –
Sim, foi a fotografia que me revelou isso. Perguntaram-me muitas vezes como eu podia aceitar ser fotografada nua, sem preparativos, de maneira quase improvisada, numa plataforma de estação ou num banco de jardim, e eu sempre respondi que não dava a mínima. São imagens de um corpo, é verdade, mas aquilo não sou eu. Meu corpo não é minha pessoa. Quando o empresto a outros, posso me retirar dele. É por isso que sou bem menos narcísica do que já foi dito: não tenho absolutamente a preocupação de ficar bela diante da objetiva e, tampouco, a de disfarçar minhas imperfeições.”

Para aproveitar a deixa, lembro que o London Times publicou ontem uma matéria sobre “mulheres viciadas em sexo“.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: