Lembrando de Arlindinho, o nosso Bozo
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Lembrando de Arlindinho, o nosso Bozo

Ricardo Lombardi

04 de julho de 2008 | 07h26

A morte de Larry Harmon, o homem que popularizou a figura do palhaço Bozo, aos 83 anos, me fez lembrar do ótimo perfil de Arlindo Tadeu Barreto Montanha de Andrade, ator que interpretou o palhaço Bozo, no SBT, publicado no ano passado pela revista Piauí. Guardei entre os meus favoritos e posto novamente aqui, para quem ainda não teve a oportunidade de ler, já que muita gente lembra do personagem da TV. Um trecho: “Aos 26 anos, Arlindo decidiu-se pela carreira de ator. No Rio, fez cursos de teatro, balé clássico, jazz, sapateado e canto. Integrava o grupo de teatro amador na faculdade e conseguiu uma chance na Globo como figurante. Participou das novelas Maria, Maria e Gina e do seriado infantil Sítio do Picapau Amarelo. Na Bandeirantes, atuou na refilmagem de Os Imigrantes, mas desentendeu-se com a produção e seu personagem morreu no meio da novela. No seu testemunho de conversão evangélica, vendido em CD, ele conta que nessa época foi ‘assediado por homossexuais e pressionado a fazer certas concessões’, eufemismo que indicava sua disposição pelo sucesso a qualquer custo. Tornou-se alcoólatra, tinha acessos de violência e conta que tomou um tiro no corpo ao tentar socorrer uma mulher que estava sendo assaltada. Trabalhou com cinema e atuou em 25 longas-metragens, a maioria filmes pornográficos. Chegou a ser indicado como melhor ator coadjuvante no Festival de Gramado pela sua atuação em A intrusa, em que contracenava com José de Abreu. Dirigiu dois filmes que nunca foram lançados.”

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.