"Eis porque já não há ninguém para atravessar o deserto"
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

"Eis porque já não há ninguém para atravessar o deserto"

Ricardo Lombardi

20 de agosto de 2009 | 07h30

Circular: “Todos têm terror do silêncio e da solidão e vivem a bombardear-se de telefonemas, mensagens escritas, mails, e contactos no Facebook e nas redes sociais da Net, onde se oferecem como amigos a quem nunca viram na vida. Em vez do silêncio, falam sem cessar; em vez de se encontrarem, contactam-se, para não perder tempo; em vez de se descobrirem, expõem-se logo por inteiro: fotografias deles e dos filhos, das férias na neve e das festas de amigos em casa, a biografia das suas vidas, com amores antigos e actuais. E todos são bonitos, jovens, divertidos, ‘leves’, disponíveis, sensíveis e interessantes. E por isso é que vivem esta estranha vida: porque, muito embora julguem poder ter o mundo aos pés, não aguentam nem um dia de solidão. Eis porque já não há ninguém para atravessar o deserto. Ninguém capaz de enfrentar toda aquela solidão.”

(Miguel Sousa Tavares em “No teu deserto”). Para ilustrar o post, trabalho de Antony Gormley.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.