As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

A morte do luxo

Ricardo Lombardi

17 de janeiro de 2008 | 06h59

Na última convenção do grupo Leading Hotels of the World, que reúne alguns dos hotéis mais caros do mundo, Andrew Sacks, um americano especialista em marketing de luxo, disse que “o luxo morreu”. Li no Times (na última notinha deste link). Valeria um entrevista com ele, o assunto rende. Um trecho: “Mr. Sacks explained what he meant: the word “luxury” is so overused at this point that it is almost meaningless. Unless hotel operators are specific about selling points, invoking mere luxury will fail to impress, he said.”

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.