As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Tumultos, correria e arrastões no centro

Daiane Oliveira

19 de maio de 2013 | 01h05

testeira_virada_600x40_1.jpg

2_virada.jpg

Flavia Guerra e Julio Maria – O Estado de S.Paulo

Atualizado às 02h40.

Mesmo com o clima geral sendo pacífico durante a madrugada da Virada Cultural no centro de São Paulo, alguns tumultos e arrastões ocorreram na região. “Da minha casa eu ja vi vários arrastões acontecerem. Liguei para o 190, mas ninguém atendeu. Não dá para sair segura hoje na rua”, declarou uma moradora da Avenida São João.

                + Suplicy canta para quem furtou seu celular

                + Discussão na plateia faz Fagner interromper o show

Perto dali, na Rua Dom José Gaspar e na Avenida São João, um tumulto foi causado por algumas dezenas de jovens que corriam pela região. “É todo ano isso. Tem que tomar cuidado”, declarou um comerciante local.

Um princípio de arrastão provocou medo e correria por volta das 23h50, na rua Quintino Bocaiuva com a Rua Direita. Alguns comerciantes fecharam as portas de seus estabelecimentos até que chegaram homens da polícia militar. A reportagem presenciou um jovem furtando um rapaz que estava à sua frente.

                + Luiz Caldas faz Axé para todos os gostos no Arouche

                + Na Virada, cinema pornô também é cultura

Mesmo com uma viatura a 200 metros da pista de raggae na Rua Conselheiro Nebias, um jovem apanhava de outros quatro enquanto a multidão dançava. O clima era tenso nestas proximidades da praça Princesa Isabel. Duas garotas também brigaram em frente aos mesmos policiais, que assistiram a tudo sem descruzar os braços.

A Praça da República, um ponto as escuras, sofreu com brigas entre gangues rivais que saiam ou chegavam dos palcos do Arouche e da República.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.