Titãs pedem fim da corrupção no Brasil
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Titãs pedem fim da corrupção no Brasil

Radar Cultural

23 de setembro de 2011 | 20h38

Roberta Pennafort

Os trabalhos no palco principal do Rock in Rio começaram pontualmente às 19h, ainda que no palco Sunset o último show ainda estivesse acontecendo. Os músicos da banda dinamarquesa The Asteroids Galaxy Tour estavam iniciando seu show quando o vídeo de abertura que relembrava os 26 anos do festival começou a ser exibido – inclusive no telão do Sunset. Quando as imagens mostraram Freddie Mercury cantando Love of My Life, Milton Nascimento e a Orquestra Sinfônica Brasileira surgiram em cena.

Os hits da abertura do palco mundo, de Titãs e Paralamas – Óculos, Sonífera Ilha, Ska, Marvin -, eram, inclusive, ouvidos nos momentos de intervalo entre uma música e outra dos dinamarqueses. Mas o som não vazou quando eles tocavam.

O público dos Titãs e Paralamas vibrou com a coleção de sucessos, e endossaram quando Paulo Miklos bradou, antes de Comida: “A gente não quer só democracia, a gente quer o fim da corrupção neste País”. Ele se referia ao primeiro Rock in Rio, em 1985, quando a redemocratização ainda caminhava. Em “Lourinha Bombril”, Maria Gadú participou.

O show durou uma hora exata. Ainda cantam hoje Claudia Leitte, Katy Perry, Elton John e Rihanna.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: