Strokes fecha o palco principal do Planeta Terra
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Strokes fecha o palco principal do Planeta Terra

Ana Clara Jabur

06 de novembro de 2011 | 02h53

O Strokes foi a última atração do palco principal do Planeta Terra. A banda, que lançou o quarto álbum este ano – após um hiato de cinco anos – entrou apenas 6 minutos atrasada (1h36) e pegou os fãs animadíssimos. O vocalista Julian Casablancas, usando skinny jeans, boné e óculos escuros, se comunicou com a plateia em português e chamou atenção para o baterista Fabrizio Moretti, carioca de nascimento, radicado em Nova York.  Os fãs não tinham o que reclamar: a banda mas emendou uma sucessão de hits que satisfez bastante o público. 

O palco principal teve ainda o ex-Oasis Liam Gallagher comandando o Beady Eye, duas bandas que se inspiram em Joy Division – Interpol e White Lies -, e os canadenses do Broken Social Scene. As presenças nacionais foram do manguebeat da Nação Zumbi e o rapper Criolo.

Groove Armada foi a última atração a subir no palco alternativo, com atraso de meia hora possivelmente para não coincidir com o show do Strokes.  Eles foram antecedidos por Bombay Bicyle Club, o duo Goldfrapp – que fez playback durante praticamente todo o show – Gang Gang Dance e Toro y Moi.

A abertura do palco indie ficou por conta da banda vencedora do concurso Todo Hit Todo Som, chamada Selvagens à Procura de Lei. Por este palco também passaram The Name e Garotas Suecas, que levou o dançarino Jacaré do grupo de axé É o Tchan como convidado especial.

Tudo o que sabemos sobre:

planeta terra

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: