As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Ska hardcore apimentado do Pepper

Ana Clara Jabur

14 de novembro de 2011 | 18h15

Pedro Antunes – Jornal da Tarde

Não parecia que estava chovendo. O vento que varria o palco New Stage no fim da tarde desta segunda-feira, do festival SWU, sequer era sentido. Culpa de uma mistura de ska, reggae com um empolgante hardcore.

É o som ideal para festivais. Dançante, sacolejante, como tem que ser num dia em que a lama prente nos sapatos e impossibilita uma caminhada tranquila entre os palcos. É escolher um e ficar.

Por isso, a sequência de um melancólico grunge do Ash para o saltitante ska explosivo do Pepper trouxe um feliz contraste. São os acordes do reggae, com a batida do ska, com refrões violentos, como as boas bandas de hardcore californiano.

A banda destilou hits dos seus cinco álbuns, cujo ápice foi a divertida Give It Up. A energia que vinha do palco era contagiante, dada a animação do trio: Kaleo Wassman (voz e guitarra), Bret Bollinger (voz e baixo) e Yesod Williams (bateria).

“Nós vamos sair do Havaí e nos mudarmos para São Paulo. Queremos estar próximos de vocês”, disse o baixista Billinger, enquanto esmurrava as cordas do baixo com a mão direita. Eles deixam o palco e, o coro de “uo, uo, uo, ie, ie, ie”, se manteve por mais cinco minutos.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: