As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Será que o Queen será parecido por aqui com Adam Lambert?

27 de fevereiro de 2015 | 19h10

**Por Gabriel Perline – O Estado de S. Paulo

Entre a glória e a rejeição há uma longa distância. Para conquistar a primeira, levam-se anos. Já a segunda, basta um simples deslize. Adam Lambert sabe disso. E desde o momento em que foi anunciado como o novo vocalista da lendária banda Queen – que nos remete instantaneamente à figura de Freddie Mercury -, tratou de amenizar o furor provocado pela mídia, ciente de que boa parte dos fãs o rejeitariam na primeira sílaba mal entonada.

“Nunca haverá outro. Não estou substituindo-o. Não é o que estou fazendo. Estou tentando manter sua memória viva e lembrar as pessoas do quão incrível ele era sem imitá-lo. Estou tentando compartilhar com a audiência a tamanha inspiração que eu recebi dele”, disse Lambert à Classic Rock em 2012.

Queen

Fãs dos quatro cantos do planeta rejeitaram Lambert antes mesmo de vê-lo no palco. Em fóruns virtuais, comentários pouco respeitosos foram feitos ao artista, questionando sua origem artística. “Como um artista pop pode ser digno de substituir Freddie Mercury?”, era a tônica das indagações.

Lambert ‘nasceu’ para o mundo em 2009, no American Idol, reality show musical tradicional da TV americana. Ficou em segundo lugar. Mas alcançou feitos que nem mesmo Kris Allen, vencedor, sequer chegou perto de obter. Atingiu o topo da Billboard 200 com seu álbum Trespassing (2012), tornando-se o primeiro artista assumidamente gay a alcançar tal posto. Antes disso, ele já chamava atenção nos palcos da Broadway e interpretou o protagonista masculino no aclamado musical Wicked, na temporada de 2006, recebendo excelentes críticas por sua atuação.

Fato é que Adam Lambert tem uma potência vocal e qualidade cênica impressionantes. Curiosamente, estes foram os motivos que imortalizaram Freddie Mercury à frente do Queen. Brian May, guitarrista da banda, é o principal entusiasta pela chegada do novo vocalista. “Adam é a primeira pessoa que encontramos que pode cantar todo o catálogo do Queen sem piscar. Ele é um presente de Deus”, disse também à Classic Rock. “Ele é incrivelmente musical, e nós certamente levamos tudo que ele diz bem a sério”, reforçou o baterista Roger Taylor.

Com o anúncio da vinda do Queen para o Rock in Rio, pairou entre os fãs brasileiros a dúvida sobre a capacidade de Lambert em promover algo tão apoteótico quanto a performance de seu antecessor em 1985, quando Freddie Mercury protagonizou a cena mais icônica de toda a história do festival: impulsionou um coro de milhares de vozes emocionadas em Love Of My Life.

Adam migrou para o pop. Um caminho apontado por sua gravadora. Mas ainda no American Idol ele sinalizou que não era exatamente essa sua vertente musical. No vídeo abaixo, um compilado com suas performances no palco do reality show. Rolling Stones, Steppenwolf, Led Zeppelin, Aerosmith, Kiss e, por ironia do destino, Queen estiveram em seu repertório.

Talvez ele não provoque a mesma comoção que o superastro Freddie Mercury conseguiu em 1985. Mas Lambert merece um minuto de sua atenção. E o vídeo abaixo pode ajudá-lo a tomar mais conhecimento sobre as qualidades artísticas do novo vocalista do Queen:

Tudo o que sabemos sobre:

Queen