As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Sepultura mistura batuque tribal e metal

Ana Clara Jabur

25 de setembro de 2011 | 21h48

Roberto Nascimento

Acompanhados do grupo francês de percussão Tambours du Bronx,  o Sepultura fez um mix de batuque tribal com thrash metal no início da terceira noite de Rock in Rio. A combinação é eficaz e, ao contrario de muitos dos encontros armados no Palco Sunset, do Rock in Rio, já foi testada antes, em uma turnê com os franceses este ano. O show ainda teve a presença de Mike Pathon, vocalista do Faith No More, que que se apresentou no sábado com o projeto Mondo Cane, na execução de Roots Bloddy Roots.

 

Confira o seltlist:

Mixture
Refuse/Resist
Sepulnation
Kairos
Relentless
Structure Violence
Requiem
We’ve Lost You
Fever
Firestarter
Territory
Roots Bloody Roots

O Palco Sunset, no entanto está acostumado com as nuances da MPB e não deu conta do som. Mais cedo, no show do Korzus, as guitarras pifaram com frequência. De longe, os fãs do Sepultura, que compareceram em massa eram obrigados a ouvir o metal emo do Glória, que tocava no palco principal. A potência é pífia perto do mar de metaleiros inquietos. O resultado foi de se esperar: vaias e palavrões. Quem conseguiu ouvir, presenciou uma apresentação consistente, que passou por hits como War For Territory e Firestarter, cover da banda Prodigy.

Tudo o que sabemos sobre:

RIR 3ROCK IN RIOSepultura

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: