As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Pulitzer volta a premiar obra de ficção

Daiane Oliveira

15 de abril de 2013 | 16h57

Maria Fernanda Rodrigues – O Estado de S.Paulo

Depois de um ano sem vencedores na categoria ficção, o Prêmio Pulitzer acaba de escolher The Orphan Master’s Son, do americano Adam Johnson, como a melhor obra desta categoria publicada em 2012. Lançado nos Estados Unidos pela Random House e presente nas listas de melhores livros do ano de importantes veículos como a Slate e o Washington Post, o livro tem como pano de fundo a Coreia do Norte.

1 pulitzer ap_1.jpg

Digraced, peça de Ayad Akhtar, venceu na categoria teatro, e Embers of War: The Fall of an Empire and the Making of America’s Vietnam, de Fredrik Logevall, foi o melhor livro de história.

The Black Count: Glory, Revolution, Betrayal, and the Real Count of Monte Cristo, de Tom Reiss, ganhou como a melhor biografia. Sharon Olds venceu em poesia com Stag’s Leap.

O prêmio de melhor não ficção ficou para Devil in the Grove: Thurgood Marshall, the Groveland Boys, and the Dawn of a New America, de Gilbert King. Na categoria música, a vencedora foi Caroline Shaw, com Partita for 8 Voices.

Os vencedores – há ainda as tradicionais categorias jornalísticas – foram anunciados na tarde desta segunda-feira, 15.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: