As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Público fica ansioso e não curte Broken Social Scene o suficiente

Ana Clara Jabur

05 de novembro de 2011 | 22h07

Pontualmente às 20h30, os canadenses Broken Social Scene subiram ao palco Main Stage. Apenas com os primeiros acordes da música World Sick, a banda arrancou palmas da plateia que aos poucos foi chegando ou se levantando.

A tecladista Brendan Cannig, uma das fundadoras do grupo, dividiu os vocais com Kevin Drew em 7/4 (Shoreline), música do terceiro álbum do grupo, Broken Social Scene (2005), considerado o melhor da banda.

Das 12 músicas que o grupo tocou, poucas tiraram o público do chão. A responsabilidade ficou por conta da sequência Stars and Sons, Fuzz, esta instrumental, e o refrão de Killing in the Name, consagrada banda Rage Against the Machine. A banda tinha tudo para dar certo, se não fosse a ansiedade do público pelos próximos shows.

Tudo o que sabemos sobre:

planeta terra

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: