Público faz fila para comer pratos preparados por chefs
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Público faz fila para comer pratos preparados por chefs

Daiane Oliveira

19 de maio de 2013 | 14h43

testeira_virada_600x40_1.jpg

Camila Hessel – O Estado de S. Paulo

Às 8h, a feirinha gastronômica composta por 30 barracas de diferentes chefs bacanas da cidade iniciou o seu expediente. Ao contrário do ano passado, quando teve sua primeira edição no Minhocão, não houve confusão – nem mesmo à medida que as filas foram crescendo.

[galeria id=6688]

O padrinho do evento, Jefferson Rueda, do Attimo, tinha passado as últimas nove horas ali, cuidando dos oito porcos de 90 quilos cada que ele desossou, temperou e pôs para assar em churrasqueiras de blocos de concreto, montadas na pista esquerda da Avenida São Luis especialmente para a ocasião. Era a única barraca que iniciou a manhã já com filas. O movimento era intenso, mas ainda tranquilo, com espera de em média 15 minutos.

Outra barraca em que a atividade era mais intensa era a do Sabores de Mi Tierra, garagem da fábrica de comidinhas colombianas do chef do restaurante Suri Dagoberto Torres e de sua tia, Magdalena Torres. Para a Virada, eles vendem arepas e costelinhas de porco, feitas na churrasqueira.

               + Racionais MC’s voltam à Virada após seis anos

               + Primeiro dia da Virada é marcado por confusões e mortes

Ao longo da manhã, o movimento foi tomando corpo e as filas, às 14h, ocupam toda a pista esquerda da Avenida São Luis. Todas as 30 barracas estão igualmente disputadas. Há strogonofe, tacos mexicanos, cachorro quente, pão de queijo, brigadeiros, curry tailandês. Os chefs garantem que há comida para todo mundo e as barracas funcionam até as 20h.

Quer acompanhar o evento, pode participar da cobertura enviando fotos para o Estadão. É só postar uma foto do evento com a hashtag #chefsnarua no Instagram.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.