Pavement, sem demagogia, deu seu recado
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Pavement, sem demagogia, deu seu recado

Renato Vieira

21 de novembro de 2010 | 15h13

Por Jotabê Medeiros

Banda que construiu seu culto nos anos 1990, o Pavement viveu uma década brilhante, e depois viveu de juros e correção monetária. No início desta madrugada de domingo, no Playcenter de São Paulo, o grupo, reformado, mostrou que ainda tem lenha para queimar. A plateia  é que se animou muito pouco, somente nos hits, como Grounded (a segunda da noite), Shady Lane e Cut Your Hair.

O ápice da retomada do Pavement se deu quando Stephen Malkmus, o mais famoso desafinado do rock, entoou a canção Stereo. Até aí, o publico ainda estava ligado. Mas depois foi caindo, embora o show tivesse um bom sabor do indie noventista, aquela desencanação típica de uma época.

Malkmus falou pouco, manteve a fleuma de garoto-enxaqueca do alt-rock. O percussionista Bob Nastanovich deu um show à parte, com berros lancinantes e uma lição de hiperatividade no palco, ao contrário dos colegas de banda. “Brasil, finalmente”, disse apenas o guitarrista. O Pavement, em alguns momentos, parece datado, mas também se mostra visionário em outros – antecipou alguns dos movimentos dos noughties, sem dúvida.

Stephen Malkmus

Stephen Malkmus (Foto: Leonardo Soares/AE)

Tudo o que sabemos sobre:

festival indiemúsicapavementplaneta terra

Tendências: