Ouça uma das últimas entrevistas de Leonard Cohen
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Ouça uma das últimas entrevistas de Leonard Cohen

Guilherme Sobota

11 Novembro 2016 | 14h12

Cohen em uma de suas últimas entrevistas, no dia 13 de outubro de 2016, em Los Angeles. Foto: Reprodução/Facebook

Cohen em uma de suas últimas entrevistas, no dia 13 de outubro de 2016, em Los Angeles. Foto: Reprodução/Facebook

No último dia 13 de outubro, Leonard Cohen deu o que talvez tenha sido sua última entrevista. Chris Douridas, apresentador da rádio KCRW, de Los Angeles, recebeu o cantor e compositor — com 82 anos recém completos — para um papo sobre a saúde de Cohen, bem como religião, família, e, claro, seu novo álbum, You Want It Darker.

A entrevista ocorreu no Consulado do Canadá em Los Angeles, como parte de uma audição especial do disco, e funcionou como uma coletiva.

+ Leonard Cohen morre aos 82 anos – depois de prometer viver para sempre

Cohen começa a entrevista dizendo que talvez tivesse exagerado suas alegações para a revista The New Yorker. “Eu meio que gosto da autodramatização de vez em quando”, brincou, com seu bom humor autodepreciativo, uma marca de sua personalidade pública ao longo dos anos. “Eu pretendo viver para sempre”, disse, para aplausos da audiência.

Questionado sobre a inspiração para os tocantes versos da faixa-título (“Hinemi, hinemi, I’m ready, my Lord”), Cohen disse: “Eu realmente não sei as origens dessa declaração de prontidão. É uma parte da alma de todo mundo… todos nós somos motivados por impulsos profundos e apetites a que servir, mesmo que não sejamos capazes de localizar aquilo que estamos querendo servir. Então, essa é só uma parte da minha natureza, de todo mundo, de se oferecer em um momento crítico, quando a emergência se torna pronunciada. É só aí que meio que localizamos aquele desejo de servir.”

+ 14 canções de Leonard Cohen, uma de cada disco

O filho do compositor, Adam, também estava lá. “O sucesso incansável com que ele injeta valores transcendentais no seu trabalho… para mim, ter o privilégio e um pouco de capacidade para ajudar, não apenas um artista, mas alguém que acontece de ser o meu pai, foi uma das coisas mais extraordinárias que já aconteceram na minha vidinha”, disse Adam, produtor do disco. “Claro que só estar perto dele é algo que também me cativa muito.”

“Eu expressei minha gratidão ao meu filho de muitas maneiras, foi um grande privilégio ter alguém com essa habilidade trazendo esse álbum a uma conclusão”, acrescentou Leonard.

+ Leonard Cohen era um gigante em tudo que fazia

“Se você é sortudo, as coisas ficam [com o tempo] mais profundas entre membros de uma família; se você não é sortudo, eles não ficam; e se você tem azar, elas se deterioram. Eu sou sortudo. Tenho relacionamentos próximos com alguns amigos, os membros da família e meus netos. Então, até agora tudo bem. Espero que continue a se aprofundar. Tenho toda a fé que assim vai ser.”

Ouça aqui a entrevista completa, via NPR:

A página oficial do cantor também disponibilizou alguns trechos da conversa, em vídeos. Veja:

 

 

 

 

 

Mais conteúdo sobre:

Leonard Cohenmúsica