As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

‘O Palhaço’ concorre à vaga de melhor filme estrangeiro no Oscar 2013

Daiane Oliveira

20 de setembro de 2012 | 12h47

2_o_palha__o_div.jpg
(Longa de Selton Mello pode levar o Brasil de volta ao mais famoso tapete vermelho. Foto: Divulgação)

Pedro Proença – Estadão.com.br

A última vez que uma produção nacional concorreu ao Oscar de melhor filme estrangeiro foi com Central do Brasil, em 1999. Em 24 fevereiro de 2013, 14 anos depois, o Brasil poderá ser representado na premiação por O Palhaço. O filme foi anunciado como representante do País na seleção que definirá os indicados ao prêmio de Melhor Filme Estrangeiro. A escolha do longa foi divulgada pela Secretaria do Audiovisual, vinculada ao Ministério da Cultura, nesta quinta-feira, 20, no Rio de Janeiro.

“Creio que a maior inovação que fazemos com a escolha do Palhaço reside no seu potencial. Esta indicação tem que ser vista como um prêmio também, é um aval de que um filme pode ir além. Espero que isso seja positivo para uma produção que já é sucesso”, afirmou a secretária do Audiovisual do MinC, Ana Paula Dourado Santana.

O longa venceu 15 produções inscritos junto à pasta, como Heleno, Capitães da Areia, Elvis & Madona, À Beira do Caminho, Corações Sujos e Xingu.

Com direção e atuação de Selton Mello, o filme conta a história do palhaço Benjamin, que atua com seu pai, Valdemar (vivido por Paulo José), em apresentações do Circo Esperança pelo interior de Minas Gerais. Eles atuam no picadeiro como Pangaré e Puro Sangue. Benjamin se questiona se quer mesmo continuar a atuar como palhaço ou largar a instável vida do circo e trilhar novos caminhos para a sua vida. Selton Mello interpreta um personagem que, embora faça o público rir constantemente, é triste e carrega certa melancolia em sua alma.

O personagem de Selton Mello, que sequer tem uma carteira de identidade, tem a incumbência de cuidar da parte burocrática do circo (ou seja: lidar com diversas dívidas). O filme, ao mesmo tempo, é capaz de arrancar risos e lágrimas do público. Essa versatilidade rendeu ao longa um público de 1, 2 milhão de espectadores e a quantia de R$ 11.901.420,05 em 33 semanas de exibição (no período de 28/10/2011 a 06/09/2012), de acordo com dados da Ancine.

Além de Central do Brasil, os únicos longas nacionais até hoje que concorreram à estatueta foram O Que É Isso, Companheiro?, em 1998; O Quatrilho, em 1996; e O Pagador de Promessas, em 1963. Os filmes não levaram o prêmio em nenhuma das ocasiões. A lista dos indicados desta e de todas as outras categorias do Oscar será divulgada em 10 de janeiro.

Tudo o que sabemos sobre:

O PalhaçoOscar

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.