As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

O circo enfadonho de Courtney Love

Ana Clara Jabur

13 de novembro de 2011 | 21h25

Roberto Nascimento – O Estado de S. Paulo

Nada poderia ser mais desanimador para os fãs de indie rock que vieram ao segundo dia do SWU. Quando tudo parecia estar pronto para o Modest Mouse, o produtor anunciou o cancelamento do show devido ao atraso do equipamento. Logo em seguida, a tagarela Courtney Love subiu ao palco com o Hole para fazer possivelmente o show mais enfadonho do ano. Courtney veio acompanhada de quatro garotas que nada fazem além de ficar em sua órbita (estão ali porque são ‘magrelas e bonitas’, disse). Estava acelerada e cantou com a voz rasgada de sempre. Mas a decadência que a tornou musa do rock há tempos deixou de ser cool. O que um dia foi escrachado, mas interessante, é hoje simplesmente tosco. Os andamentos da banda são torpes. A pegada da banda é desinteressada. Os refrões parecem ter sido retirados de uma jarra de formol, tão datado é o conceito rock and roll da cantora.

Entre as músicas, papo, muito papo. Courtney revelou que tem herpes (ninguém pareceu muito interessado) e disse que ficou mas não transou com Billy Corgan, do Smashing Pumpkins (não se ouviu nem um suspiro). A grande pérola de sua matraca implacável ficou para o aparentemente encenado “piti” que a cantora deu na metade do show. Alguém mostrou uma imagem de Kurt Cobain e Courtney se enfezou: “Você não foi casado com o Kurt. A criança e o fantasma dele me assombram todos os dias”, disse, antes de levar a banda para o backstage. Minutos depois, o guitarrista surgiu e disse à plateia que se quisesse Courtney de volta, teria de cantar “Os Foo Fighters são gay”. Pedido atendido e Courtney voltou com naturalidade, como se o xingamento fosse uma rotina de seu show.

Não ficou claro se a promessa de um cover do U2, no início da apresentação, foi deixada de lado, ou confundida com Sympathy For the Devil, dos Rolling Stones, música que abriu o show. Bad Romance de Lady Gaga, com letra mais obscena do que a original foi o ponto mais baixo do show. A cantora mal sabia a letra. Disse que ouviu a música apenas duas vezes, como se justificasse a performance ridícula.

+ Assista ao vídeo

Tudo o que sabemos sobre:

Courtney Loveswuswu2

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: