Na Virada, cinema pornô também é cultura
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Na Virada, cinema pornô também é cultura

Daiane Oliveira

19 de maio de 2013 | 00h03

testeira_virada_600x40_1.jpg

1 pornô-virada_1.jpg

Flávia Guerra – O Estado de S. Paulo

Na madrugada de sábado para domingo, os cinéfilos, os curiosos e os frequentadores assíduos lotavam a sala do tradicional Cine Dom José, na Rua Dom José Gaspar, no Centro. “Desde que as sessões começaram, às 18h, tem tido umas 200 pessoas por filme”, comentava o bilheteiro da casa. “E o melhor é que, ao contrário do que costuma acontecer, hoje está cheio de mulher e casal”, emendou um frequentador habitual do cinema. “Devia ser sempre assim. Pornô e erotismo também é cultura”, completou um ‘visitante ocasional’. “Vim para conferir o tipo de pessoa que vem a um cinema como este.

                + Luiz Caldas faz Axé para todos os gostos no Arouche

Na Virada todo mundo se mistura e fica mais legal ainda”, comentou R. A., designer   gráfico que nunca tinha ido a um ‘cine prive’ antes.

                + Discussão na plateia faz Fagner interromper o show

                + Suplicy canta para quem furtou seu celular

Na programação Pink Porn, do Cine Dom José, que segue até às 18h de domingo, serão exibidos filmes como Um Belo Mistério: A Lenda do Grande Pênis; Ejaculando Orações: Uma Prostituta de 15 Anos de Idade, Dona de Casa: Sexo da Tarde, entre outros.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.